Sauvignon Blanc x Chardonnay: descubra as principais diferenças entre elas

São duas das uvas brancas mais conhecidas e apreciadas no mundo, notáveis por sua qualidade, porém, cada uma traz características distintas para a taça

Os amantes de vinho têm o privilégio de explorar uma infinidade de variedades, onde cada uva revela sua própria história. Entre as protagonistas desse universo estão a Sauvignon Blanc e a Chardonnay, duas das uvas brancas mais conhecidas e apreciadas no mundo. Ambas são notáveis por sua qualidade e versatilidade, porém, cada uma traz características distintas para a taça, oferecendo experiências únicas.

A Sauvignon Blanc, com sua vivacidade e frescor, mostra aromas marcantes de frutas cítricas, maracujá e notas herbáceas, além de acidez vibrante e final refrescante. Já a Chardonnay, com sua elegância e complexidade, traz aromas que variam de frutas cítricas a especiarias e baunilha, e textura cremosa e persistente.

Vamos então explorar as principais diferenças entre a Sauvignon Blanc e a Chardonnay, desde origens, influência do terroir e método de produção, até perfis sensoriais. Traremos também dicas de harmonização, considerando o estilo de cada vinho.

Origem e história

Nascida no Vale do Loire, França, a Sauvignon Blanc adora climas frios e solos calcários. Seu nome deriva das palavras francesas “sauvage” (selvagem) e “vigne” (videira), refletindo a natureza vigorosa desta variedade. Com o tempo, essa uva expandiu suas raízes para outras regiões vinícolas ao redor do mundo, incluindo Nova Zelândia, Chile, África do Sul e Califórnia.

A Chardonnay, por outro lado, tem suas raízes na região da Borgonha, na França, onde é cultivada desde o século XIII. Diz a lenda que o nome Chardonnay vem da vila francesa de Mâconnais, perto da Borgonha, embora não haja consenso absoluto sobre a origem exata. Muito adaptável e revelando diferentes nuances em cada terroir, a Chardonnay pode apresentar um leque de estilos, desde vinhos minerais e cítricos até exuberantes e amanteigados.

Da mesma forma como aconteceu com Sauvignon Blanc, a Chardonnay se espalhou por todo o globo, encontrando terroirs ideais em locais como Borgonha, Champagne, Califórnia, Austrália e América do Sul.

Perfil aromático e de sabor

A Sauvignon Blanc é muito conhecida por sua vivacidade e acidez refrescante. Seus aromas são muitas vezes associados a notas cítricas, como limão e grapefruit, além de características herbáceas, como grama cortada e folhas verdes, e até notas de pimentão verde. Alguns exemplares podem apresentar toques de frutas tropicais, como maracujá e kiwi. O perfil vivo da Sauvignon Blanc a torna uma escolha certeira para aqueles que apreciam vinhos brancos frescos e vibrantes.

A Chardonnay, por sua vez, é reconhecida por sua versatilidade e riqueza de sabores. Seus aromas  variam de acordo com o terroir e o método de produção. Em regiões mais frias, predominam maçã verde, pera, carambola e frutas cítricas, enquanto em climas quentes, notas de frutas tropicais e de caroço, como abacaxi, manga, pêssego e damasco se destacam.

Além disso, esta é uma das poucas variedades brancas que se beneficia com o envelhecimento em barrica de carvalho, o que pode adicionar camadas de baunilha, tostado e até mesmo um toque de manteiga. Os vinhos feitos com a Chardonnay podem variar de frescos com acidez presente a untuosos e encorpados, possibilitando uma experiência sensorial diversificada.

Influência do terroir na expressão da uva

A Sauvignon Blanc é sensível às influências do clima e do solo do local de cultivo, refletindo características únicas de cada região. Por exemplo, um Sauvignon Blanc da região de Marlborough, na Nova Zelândia, pode exibir intensos aromas de maracujá e notas herbáceas distintas, enquanto um da região de Sancerre, na França, pode apresentar uma mineralidade calcária e uma acidez mais nítida, ou então um exemplar da Califórnia pode trazer aromas mais evidentes de pêssego branco.

Assim como a Sauvignon Blanc, a Chardonnay também sofre influência do terroir, e diferentes regiões produzem perfis de sabores distintos. Chardonnays da Califórnia, Argentina e Austrália podem exibir uma riqueza de frutas tropicais e uma cremosidade resultante do carvalho, enquanto os da Borgonha, muitas vezes, revelam uma elegância mineral e uma acidez equilibrada.

Na realidade, a Borgonha, berço da Chardonnay, possui terroirs distintos, cada um com características únicas que influenciam o estilo dos vinhos. Em Côte de Beaune, de onde provêm exemplares considerados os melhores do mundo, os vinhos possuem uma elegância distinta. São Chardonnays ricos, com alta complexidade aromática, muitas vezes com notas de frutas secas e mel, enquanto os vinhos da região de Chablis trazem uma mineralidade intensa, aromas cítricos e acidez vibrante.

Estilos de vinificação

A vinificação da Sauvignon Blanc geralmente privilegia a expressão da fruta. A fermentação em tanques de inox é comum, a fim de preservar a acidez e os aromas frescos. Em algumas regiões, como na Nova Zelândia, a Sauvignon Blanc é frequentemente fermentada com leveduras nativas para destacar ainda mais o terroir. Além disso, raramente tem passagem por carvalho, visando manter o caráter frutado e fresco da uva.

Já a Chardonnay “aceita” mais estilos de vinificação. Enquanto alguns produtores optam por fermentar e envelhecer em tanques de inox para preservar as características da fruta, outros preferem a fermentação e o envelhecimento em barricas de carvalho. A influência da madeira pode adicionar complexidade e profundidade aos vinhos, criando Chardonnays robustos e voluptuosos, com possibilidade de envelhecerem belamente em garrafa. O processo chamado de “sur lie” também é comum, onde o vinho permanece em contato com as leveduras (borra) após a fermentação, conferindo uma textura mais cremosa.

Harmonizações

Devido a sua acidez e frescor, a Sauvignon Blanc é uma excelente escolha para acompanhar pratos leves, como saladas, frutos do mar, peixes grelhados, aves e queijos frescos, como Feta e Chèvre. Prove com pratos da culinária asiática ou receitas que levem toques cítricos e herbáceos. Sushis e sashimis variados, e ceviche são ótimas pedidas, além de simplesmente degustar uma bela garrafa em um dia de calor, ao ar livre, acompanhada de uma boa conversa.

Em relação à Chardonnay, sua versatilidade a torna propícia para uma variedade de harmonizações. Chardonnays mais leves e frescos combinam bem com aves, peixes e pratos vegetarianos, enquanto os mais encorpados e barricados harmonizam bem com pratos mais substanciais e gordurosos, como frango assado, risoto de cogumelos e massas com molhos cremosos, especialmente à base de queijos.

Além das escolhas dos pratos, para a experiência gastronômica ser completa, é fundamental servir os vinhos na temperatura correta. O ideal é servir o Sauvignon Blanc entre 8°C e 10°C para realçar sua acidez refrescante e aromas vibrantes. Já o Chardonnay, se não for envelhecido em barricas de carvalho, sirva-o nesta mesma faixa, 8°C e 10°C, enquanto aqueles que passaram por madeira, entre 10°C e 12°C para realçar seus aromas e sabores complexos.

Explore as diferenças entre Sauvignon Blanc e Chardonnay

A Sauvignon Blanc e a Chardonnay são uvas que dão origem a vinhos brancos excepcionais, cada um com suas nuances e encantos. A escolha ideal depende do seu paladar, da ocasião e do tipo de experiência que você busca. Experimente ambos e explore a riqueza de sabores que essas uvas oferecem!

Ambas oferecem experiências sensoriais únicas, por isso experimente diferentes estilos de vinhos elaborados com as duas e explore a riqueza de sabores que elas oferecem. Saúde!

Posts Similares